Tipos de óculos para natação em águas abertas?

Quem pratica natação sabe que óculos é um material fundamental na vida do atleta. Mas com tantas opções no mercado você já se perguntou para que serve cada tipo de óculos?

Cada tipo de lente tem sua funcionalidade, portanto, é comum o atleta ter mais de um óculos para atender a necessidade específica de cada prova ou condições de treinamento. 

A lente transparente é boa para treinamentos em piscinas cobertas, provas noturnas ou dias completamente sem sol ou claridade. 

Lentes amarelas, vermelhas, azuis, entre outras cores, têm o mesmo objetivo das lentes transparentes, mas para alguns atletas esse modelo pode cansar a vista ou até mesmo “estressar” durante o nado, pois o fato de não saber as cores reais do que se está visualizando pode causar desconforto. 

Lentes fumê servem para provas em dias de sol e mormaço pois protegem os olhos e melhoram a visibilidade. Alguns atletas utilizam também esse tipo de lente para treinar em locais fechados, pois quando acostumados não atrapalha. 

Já lentes espelhadas são ótimas para os dias de sol e mormaço pois protegem 100% do reflexo e facilitam os detalhes da visualização em provas. 

Espero que vocês gostem dessas dicas e possam ajudar a escolher o material ideal para treino e competição! Lembre-se ao efetuar a compra de testar os óculos colocando em seu rosto. Pressione sobre os olhos sem colocar o elástico, se a pressão aplicada mantiver o óculos em seus olhos é porque será uma boa aquisição. 

Abraços!

HIPERVENTILAÇÃO: Como salvar sua prova em um momento de estresse

Olá amigos!! Muitos aqui certamente já ouviram falar em hiperventilar em águas abertas! Sair forte demais, não controlar a adrenalina na competição… Isso é muito comum, principalmente nos atletas que disputam suas primeiras provas. Isso pode acabar com todo planejamento e bem estar na prova.  

Hiperventilar é BUSCAR OXIGÊNIO, pois de alguma forma gastamos tudo (ou boa parte) de uma só vez e precisamos recuperá-lo novamente. Imagine que nosso corpo é como um MOTOR de carro: Devemos engatar 1ª marcha, 2ª, 3ª… Caso contrário o motor não entenderá o sinal e vai falhar.

A primeira coisa a fazer nessa situação é MANTER A CALMA!!! É muito comum querer desistir, achar que tudo foi por água abaixo, mas lembre-se: sem oxigênio não podemos viver, portanto a hiperventilação é uma reação instintiva de proteção do seu corpo. Por isso, diminua MUITO o ritmo de nado, nade mais leve, com técnica, controlando a respiração e fazendo-a baixar aos poucos. Em alguns minutos ela vai estabilizar e você poderá recomeçar sua estratégia para terminar bem a prova. Esta é uma grande vantagem de nadar em águas abertas, quando erramos temos tempo de acertar e corrigir. 

Uma forma de se preparar para esse tipo de situação é realizar TREINOS em ritmo de largada, sem hiperventilar, nadado forte até o ponto em que a respiração não aumente demais. Trabalhe mais na força do movimento e menos no giro de braçadas. Você estará mais descansado, portanto sua eficiência será igual, porém com menos desgaste. 

Outra dica é manter esse ritmo de largada apenas até encontrar o pelotão ou até sair da “bagunça” da largada, onde encontrará seu espaço. Após este período, reduza aos poucos o ritmo e entre no SEU ritmo de prova, que foi treinado e repetido diversas vezes no dia a dia.

Lembre-se de não fazer além do que treinou. O corpo entende as mensagens que são enviadas e qualquer estímulo diferente pode trazer desconforto e até a desistência no momento da prova. 

Espero que gostem dessa dica e mesmo quando não passarem por isso mas observarem algum amigo com o mesmo tipo de problema, possam ajudá-lo. 

Abraços

Ritmo de nado: estratégias e dicas para render mais na prova

Olá pessoal!! Hoje vamos falar de um fundamento que pode contribuir bastante para uma boa performance do atleta: o ritmo de nado. Saber dosar o ritmo de acordo com as adversidades da prova não só gera economia de energia como traz mais eficiência para o nado. 

Dois aspectos interferem diretamente no ritmo do atleta: VELOCIDADE – tempo que o nadador gasta para percorrer determinada distância; e EFICIÊNCIA – quão longe o nadador se desloca por ciclo de braçadas. Quanto menor o tempo que o atleta gasta para percorrer um trajeto e menos braçadas ele precisa dar para concluir essa distância, menor será seu gasto energético. Durante os treinos, a distribuição das distâncias semanais geralmente são gradativas para que o atleta vá se adaptando progressivamente a nadar na velocidade desejada para a prova. 

Lembre-se que em águas abertas, uma série de FATORES EXTERNOS (tempo, ondas, correnteza, etc) podem dificultar a aplicação da técnica, reduzindo por exemplo a eficiência das braçadas. Por isso, procure treinar e se preparar para as mais diversas condições de mar, trabalhe bastante a propriocepção e com isso trace a estratégia de ritmo mais adequada para suportar as adversidades impostas pela natureza. 

O início de prova é fundamental para o sucesso de seu desafio. Procure controlar a ansiedade e adrenalina, não imprima um ritmo excessivamente forte logo de cara. Gaste suas energias aos poucos para que você esteja descansado durante a prova e pronto para acelerar no momento certo, como ultrapassagens e sprint final caso esteja disputando com algum adversário.  

Em águas muito QUENTES a melhor estratégia é manter um ritmo constante, pois a perda de líquido e sais minerais é muito grande. Por isso também, fique ligado na hidratação! Já em águas muito FRIAS inicie em ritmo confortável e mantenha SEMPRE energia para fazer um progressivo, aumentando a intensidade aos poucos, pois você terá que manter seu corpo produzindo calor o tempo todo. 

Em provas mais LONGAS, de 10k ou acima, é importante iniciar em ritmo muito tranquilo, bem abaixo de seu limiar e com muita atenção na técnica. Apenas após 1h de prova inicie uma estratégia progressiva de acordo com seu estado físico e mental no momento. Siga as instruções de seu técnico, ele é a pessoa mais indicada para passar sua estratégia e ajudar a encontrar o ritmo mais confortável para que você conclua bem o seu desafio. Quem já competiu metragens mais longas pode iniciar em ritmo no limiar para entrar físico e mentalmente na prova por mais ou menos 5 a 10 minutos. Após este tempo, imprima um ritmo confortável e mantenha uma estratégia de nado progressiva, treinada para a prova. 

Em provas mais CURTAS, a capacidade de imprimir velocidades mais altas é maior, mas cuidado! É comum muitos saírem em um ritmo mais forte para se distanciar do pelotão logo de cara, mas no decorrer da prova perder o fôlego e acabar ultrapassado. Por isso, mantenha um ritmo regular, com certa velocidade, sem quebrar na fase final, um momento que você poderia até aumentar um pouco o ritmo para cruzar bem a linha de chegada. 

Espero mais uma vez ter ajudado e retornamos em breve com mais dicas importantes para alavancar a sua performance!

Abraços!

Por que usar roupa de borracha (neoprene)?

Ao contrário do que muitos pensam, as roupas de borracha – ou neoprene – não  servem apenas como isolante térmico que protegem os atletas de águas frias. Elas facilitam a FLUTUAÇÃO, diminuindo o arrasto proporcionando pela água e aumentando o deslizamento na superfície. Por isso, muitos optam por utilizá-las mesmo que a temperatura da água não esteja tão baixa para ganhar “vantagem competitiva”. 

Esse tipo de vestimenta trouxe um grande benefício à técnica de BRAÇADA. Existe uma melhora significativa no comprimento, na frequência e índice das braçadas com o uso da roupa, um ganho muito importante para quem visa uma performance mais eficiente.

Além disso, existem os modelos COM MANGA E SEM MANGA. Aí vem a pergunta: qual é melhor? Tudo depende exclusivamente da ADAPTAÇÃO DO PRATICANTE ao material adquirido. A roupa sem manga permite um movimento de ombros mais solto. As roupas com manga podem dificultar um pouco o movimento da braçada, mas são mais propícias para quem procura uma melhor flutuação ou mesmo pretende se sentir mais seguro em águas frias, uma vez que cobrem mais partes do corpo mantendo a temperatura do corpo mais equilibrada. 

Em metragens mais curtas o atleta pode não sentir muita diferença mas em longas distâncias o praticante pode sentir certo desconforto na execução dos movimentos dependendo da escolha da roupa. Mas só quem pode avaliar isso é VOCÊ! Por isso testar a roupa ANTES da prova é muito importante! Quando efetuar a compra, puxe bem o cavalo, os braços e não deixe sobras. Quanto mais você utilizar e sentir na pele os prós e contras, mas conforto terá durante a prova.  

Um conselho que não pode ser desconsiderado em dias de prova é o uso de VASELINA nos lugares que assam, como pescoço e axilas (roupas sem manga), além de antebraço, no quadril e na canela para auxiliar a retirada da roupa após a prova.  

Agora, muito cuidado no verão ou locais onde a temperatura da água esteja mais quente. O neoprene compromete a regulação térmica do corpo e o atleta pode vir a desmaiar com a temperatura corporal elevada (hipertermia). 

Aquecimento para treinos e provas

Olá pessoal, hoje vamos falar sobre aquecimento. A prática é extremamente importante antes de iniciar qualquer atividade física uma vez que aumenta capacidade das articulações e proporciona maior do fluxo de sangue para músculos e tecidos, diminuindo o desconforto do início dos exercícios e, consequentemente, o risco de lesões. 

Você pode aquecer diretamente na água. Em média o aquecimento será 15% a 20% de seu treino, isto dependerá da fase de sua periodização e especificidade da prova, por isso é fundamental a orientação de um profissional. Também é importante que fazer exercícios fora da água, com movimentos que estimulam a circulação sanguínea, respiração, coordenação, ativação articular e alongamento.  

Então por onde começar? Durante os treinos, inicie em ritmo MUITO LEVE, com atenção na técnica, sensibilidade na puxada, coordenação, alteração da respiração e lubrificação das articulações. Desta forma reduzirá risco de lesões e terá um maior rendimento durante o treino. 
Nas provas, realize o aquecimento de preferência 10 minutos ANTES da prova. Algumas provas podem não permitir a entrada na água nesse período, por isso é importante prestar atenção nas orientações dos organizadores e se adaptar as circunstâncias. Caso não possa aquecer antes da prova, se movimente muito antes de entrar na água, ative sua circulação, articulações e faça um pouco de alongamento. Após realizar toda estimulação faça aquecimentos mais intensos, progressivos e que simulam o inicio da prova que você fará. 

Uma dica legal de aquecimento é entrar na água, molhar punhos, nuca e rosto. Fazer 40 braçadas tranquilas, alongadas e na sequência 10 braçadas um pouco mais rápidas, acelerando também o batimento se pernas. Mas fique ligado, não é tiro!! É somente um estímulo diferente para acelerar o metabolismo. Repita esse procedimento de 3 a 5 vezes e pronto! Está aquecido(a)!

Cada atleta possui sua individualidade no TEMPO de aquecimento… Alguns aquecem 2 minutos, outros 5, 10 e assim por diante. Teste nos seus treinos qual o tempo ideal para o seu copo “ligar”. Lembre-se que quando nadar uma distância mais longa é preciso GUARDAR energia para a prova! Segure a ansiedade e aqueça somente o necessário para ativar seu corpo e seus sentidos. 

Atenção para o EXAGERO, tanto para mais como para menos. Certa vez eu estava tão “pilhado” e preocupado em não perder condicionamento que aqueci demais que na hora da prova estava cansado… Não aquecer também pode ser uma furada. Pense que os músculos são como elásticos de borracha. Imagine ainda que o dia está frio, logo eles estão mais rígidos e tensionados. Se pegarmos um elástico de borracha rígido e tentarmos esticar, ele pode se partir, não é mesmo? Com os músculos é bem parecido, sem uma preparação você pode ficar dolorido ou problemas, por exemplo, uma super extensão. 

Abraços!

Hidratação: um ponto chave durante a prova

Olá pessoal! Hoje vamos falar sobre um detalhe que pode ajudar ou prejudicar o atleta durante uma prova: a hidratação. A nutrição esportiva muitas vezes é deixada em segundo plano na rotina do atleta e isso pode representar uma queda significativa na performance. Uma hidratação eficiente faz com que o atleta mantenha sua capacidade física e forneça ao organismo a energia necessária para atingir o melhor rendimento.  

A primeira dica que dou é: procure um profissional especializado! Dependendo da prova que você irá encarar, por exemplo uma ultramaratona aquática ou um Ironman, é fundamental que você reponha os nutrientes com uma frequência maior pois a perda calórica é muito grande e sem um controle eficiente o atleta pode se desidratar rapidamente e ter uma fadiga precoce, ficando sem forças para completar o desafio. 

Em provas mais LONGAS o ideal é que sejam ingeridos pequenos volumes a cada 20 ou 30 minutos. Carboidrato, isotônico ou termogênico? Depende das recomendações do nutricionista e da necessidade corporal. Em provas CURTAS normalmente não existem pontos de hidratação, portanto é muito importante que faça uma hidratação de 30 minutos a 1 hora antes da prova, pois assim não correrá risco de desidratação antes e nem após a prova, o que é muito comum. 

Não existe receita de bolo, cada organismo tem suas necessidades fisiológicas e cada atleta tem sua meta e sua preferência por marcas, sabores e texturas. Para alguns a ingestão de gel, que possuem absorção rápida pelo corpo, é mais eficiente, para outros pode causar um tremendo mal estar. Por isso é essencial testar ANTES todos os alimentos e suplementos, para que você tenha certeza de que seu organismo está adaptado. 

Inclusive, um erro que vejo frequentemente é mudar a hidratação no dia da prova, ás vezes por influência e recomendação de amigos, outras vezes porque a pessoa vê o adversário ou um atleta que se inspira tomando determinado alimento e pensa que se fizer o mesmo terá um rendimento melhor, igual o do outro, mas isso pode ser uma grande armadilha. A ingestão de alimentos ou suplementos diferentes dos quais você está acostumado pode ocasionar problemas estomacais, prender ou soltar o intestino, náuseas e enjoos, o que certamente pode comprometer todo o seu rendimento. Por isso, NÃO TESTE NADA NOVO no dia da prova!! Siga seu planejamento individualizado e que o corpo já está acostumado.  

Uma dúvida muito comum que chega até mim é sobre quando ingerir LÍQUIDOS OU ALIMENTOS SÓLIDOS. Algumas pessoas sentem a necessidade de comer algo sólido em provas mais longas, acima de 5k, enquanto o liquido já é suficiente em provas curtas, uma vez que o atleta fará uma boa hidratação antes. Porém acho que essa questão é muito pessoal, vai da sensação e também necessidade de cada pessoa e organismo. 

ÁGUA SEMPRE!! Não só durante a prova, mas antes também. Perdemos muito líquido com a sudorese, especialmente nos dias mais quentes, onde a temperatura corporal também se eleva e necessita de água para equilibrar. Nos dias mais frios, a tendência é ingerir menos líquido, por isso, precisamos redobrar a atenção para evitar a desidratação precoce. E consuma com moderação para que o corpo consiga absorver e não ficar aquela sensação de bexiga cheia, com vontade de fazer xixi. 

Abraços! E boa prova!!

Samir Barel é o novo recordista do Amazon Challenge de maratona aquática

A vida é movida por desafios!! É com essa frase em mente que Samir Barel encarou nesta segunda-feira (24) o Amazon Challenge de maratona aquática na cidade de Manaus (AM). O paulista não só concluiu os 30 quilômetros do trajeto pelo belíssimo Rio Negro, como se tornou o novo recordista da prova com a marca de 6h00min07s. 

“Não havia programado realizar essa travessia durante a temporada, decidi fazer há apenas uma semana, mas é como digo, o que não pode é deixar morrer essa paixão, essa motivação que vem do coração de encarar novos desafios. O Rio Negro tem uma energia diferente e fantástica. É um desafio lindo, desafiador e extremamente viável. Recomendo demais pois a sensação de contato com a natureza aliado ao que amamos, a natação, é indescritível!”, conta o nadador, que conhecido como um dos principais embaixadores da maratona aquática Brasil afora. 

Além de nadar, Samir aproveita passagem pelo Amazonas para acompanhar uma aluna de 54 anos que também irá testar seus limites na travessia de 30k. “Meu principal objetivo como nadador e pessoa é mostrar que #SomosTODOSCapazes de realizar façanhas até então impensáveis, basta trabalho árduo, disciplina e amor pelo que se faz!”, finaliza o nadador. 

Nadador multifuncional

Praticante de maratona aquática desde 2007, Barel já concluiu algumas das provas mais longas e difíceis do planeta. Nos últimos tempos tem dividido a rotina de treinos com o lado empresarial como sócio proprietário da academia Cunzolo Campinas; perfil empreendedor, estando a frente do Desafios Aquaman, um projeto pioneiro e desbravador de novos percursos na Maratona Aquática; e claro, técnico da Samir Barel Assessoria Aquática, que atende nadadores amadores e profissionais em todos os estados e está se tornando referência no ensino e performance em provas de natação em águas abertas. “O dia é cheio, mas eu amo o que faço”, conta o ultramaratonista aquático.  

Samir Barel encara pela segunda vez o Amazon Challenge 30k de maratona aquática

Conhecido como um dos principais fomentadores da maratona aquática no Brasil, Samir Barel cai na água na próxima semana, dia 24 de junho, para incentivar um dos novos percursos que estão surgindo na modalidade. O Amazon Challenge 30k, organizado pela Associação Aquática Amazonas, na cidade de Manaus, teve início em abril e busca atrair os fãs da natação em águas abertas para o famoso Rio Negro, um dos teosuros da Amazônia. 

“Eu havia nadado os 30k em 2015, em uma prova teste que a Aquática Amazonas fez. Agora o desafio ganhou corpo, se tornou individual, igual a algumas das provas internacionais que existem, e é uma grande oportunidade para os praticantes da maratona aquática. Decidi nadar novamente pela beleza do local, pelo desafio em si e pela organização de excelência”, conta o nadador, que é o primeiro e único brasileiro a conquistar a tríplice coroa das águas abertas – as três ultramaratonas aquáticas mais difíceis do mundo. 

Além de nadar, Samir aproveita a oportunidade para acompanhar uma aluna que tem uma história especial. Ana Paola tem 54 anos, é aposentada e não acreditava que poderia realizar uma façanha dessas até que Samir mostrou seu lema: #SomosTODOSCapazes de atingir nossos objetivos, independente de quais sejam!

“Faz 7 anos que voltei a nadar. Conheci o Samir na Travessia do Rio São Francisco, assisti a palestra dele e ainda assim achava uma loucura que todos poderiam nadar grandes desafios, como Canal da Mancha, isso pra mim era para poucos. Mas há 3 anos estou nadando com o Samir e dos 5k que eu fazia já estou passando para provas mais longas. Ele nos incentiva muito, faz com que a gente se sinta confiante e agora eu aprendi que sim, somos capazes de encarar qualquer desafio!”

Nadador e profissional versátil

Praticante de maratona aquática desde 2007, Barel já concluiu algumas das provas mais longas e difíceis do planeta. Nos últimos tempos tem dividido a rotina de treinos com o lado empresarial como sócio proprietário da academia Cunzolo Campinas; perfil empreendedor, estando a frente do Desafios Aquaman, um projeto pioneiro e desbravador de novos percursos na Maratona Aquática; e claro, técnico da Samir Barel Assessoria Aquática, que atende nadadores amadores e profissionais em todos os estados e está se tornando referência no ensino e performance em provas de natação em águas abertas. “O dia é cheio, mas eu amo o que faço”, conta o ultramaratonista aquático.  

10 Erros que já cometi em provas de maratona aquática

Durante os mais de 10 anos de águas abertas treinei pude participar de diversas provas, com as mais variadas condições. Aprendi muito errando e conversando com meus “adversários”, alunos, espectadores e técnicos. Cada prova que termino sinto que ganhei uma nova experiência, as provas são sempre grandes oportunidades para evoluir. Tenho certeza que vou aprender MUITO ainda… Mas aproveito a oportunidade para falar de alguns erros que já cometi e acho importante passar para vocês, pois podem antecipar e corrigir em suas provas… 

1. Hidratação errada: uma hidratação ruim pode reduzir 10 a 30% seu rendimento em treinos e provas segundo nutricionistas, por isso converse com um profissional especializado, teste sua alimentação antes da prova e nunca mude nada no dia. Trocar de alimentos, mesmo que por indicação de amigos, pode não ser bom para o organismo, comprometendo toda sua prova. 

2. Não dormir ou descansar pouco na semana da prova: com correria do trabalho, rotina doméstica e familiar muitas vezes não conseguimos descansar o suficiente. Mas para sua principal prova do ano ou treinos específicos programe-se!! A diferença é ENORME!! Estudos comprovam que uma boa noite de sono controla o nervosismo, deixa a mente mais tranquila e consequentemente melhora o desempenho. 

3. Não aquecer antes da prova ou aquecer demais: o exagero para mais e para menos não ajuda. Conheça seu corpo e faça exatamente o que treinou, esta é sempre a melhor dica. 

4. Esquecer de passar vaselina  protetor solar. Assaduras ou queimaduras provocadas por insolação causam um desconforto enorme durante a prova.

5. Utilizar óculos/roupa nova na prova: errei o ajuste do óculos e ficava entrando água o tempo todo. Roupas novas de neoprene especialmente também podem causar desconforto caso sejam muito apertadas, curtas…

6. Não prestar atenção na explicação do percurso: sem orientação na hora de nadar fiquei sem saber para onde ir, dependendo de outros participantes. Por isso participar do congresso técnico é muito importante!! Tire suas dúvidas e trace a melhor estratégia. 

7. Subestimei outro atleta: já tentei acompanhar um adversário desde a largada,  mas como ele imprimiu o ritmo dele antes da metade da prova eu já estava cansado e depois de um tempo não consegui mais acompanhá-lo; outra vez pensei estar no controle, nadando a frente, mas perdi no sprint final. Realizar ultrapassagem antes da hora também pode não ser uma boa, poupar energia para momentos cruciais também é importante. 

8. Em provas longas não respeitar o que o técnico e o barqueiro estão sugerindo: estava me sentido bem, confiante, pensei estar correto mas acabei errando o percurso ou o ritmo de prova. O trabalho em equipe e confiança são essenciais na hora da prova;

9. Tentar um trajeto diferente do que a maioria está fazendo: nadar em grupo em águas abertas, mesmo que seja mais fácil, as vezes é a melhor opção. Estudos indicam que seu rendimento pode ser melhorado em até 20%;

10. Ficar em pé na chegada antes da hora, não dar pé ainda e ser ultrapassado: também já tomei um “caldo” de uma onda na chegada por não ter olhado se ela estava vindo. 

Espero ter ajudado vocês e caso tenham mais erros que gostariam de compartilhar para ajudar os outros, fiquem a vontade!! É trocando experiências que a gente cresce e evolui. Abraços!

Como escolher uma prova… no exterior!

Olá pessoal, há um tempo atrás falamos sobre como escolher uma prova para participar. Como um grande apaixonado por desafios, vamos ampliar um pouco mais a discussão falando sobre provas no exterior! O Turismo esportivo está em alta então, por que não conciliar aquela vontade de conhecer um outro país com a chance de nadar uma prova em águas totalmente diferentes do que se tem no Atlântico?

A primeira recomendação sobre conversar com a família segue no topo da lists, ainda mais considerando que o investimento será em moeda estrangeira e dependendo do valor do câmbio os custos realmente vão pesar no orçamento familiar.   

Procure conversar com amigos ou pessoas que já estiveram no destino para saber mais detalhes sobre a prova (caso já tenham participado), recomendações de lugares para hospedar, se alimentar, dicas de transporte público… 

Sobre a estrutura de prova, verifique não só os itens de suporte ao atleta (ambulância, staffs, boias, estacionamento, etc), mas também se os eventos são chancelados (reconhecidos por alguma entidade), quem são os organizadores, se existe alguma federação ou associação local que você pode recorrer caso haja algum imprevisto (esperamos sempre que não, mas tenha em mente que pode sim acontecer…)

Nunca se esqueça de ler o regulamento!! As regras podem variar de um país para outro assim como os documentos exigidos para participar. Obtenha o máximo de detalhes possível sobre autorizações (se é necessário permissão ou não de entidades nacionais – Confederação), acompanhamento obrigatório (barco de apoio, caiaque… se é pago a parte ou faz parte da estrutura), taxas extras, equipamentos de segurança…

Aqui seguem algumas indicações de eventos no exterior

http://www.marnatonedreams.com/es/home.html e http://oceanman-openwater.com/ (Provas ótimas de circuito pela Espanha e Europa)

https://openwaterswimming.com/2015/05/worlds-top-100-open-water-swims-in/ e http://openwatersource.weebly.com/worlds-top-100-open-water-swims.html (provas oficiais e amadoras nomeadas as melhores do mundo)

https://globalswimseries.com (eventos em vários países, mas recomendados para atletas mais experientes)

http://openwatersource.weebly.com/worlds-top-100-open-water-swims.html

https://www.google.com.br/amp/s/amp.redbull.com/ie-en/best-open-water-swim-races-in-the-world

http://10kswim.blogspot.com/2009/03/worlds-top-100-open-water-swims.html?m=1